Quando foi contratado pelo Botafogo em 2008, oriundo do Coritiba, onde havia se destacado, o volante Túlio Souza chegou com respaldo da torcida alvinegra. O jogador ficou três anos em General Severiano, levantou cinco taças, mas acabou não deixando muitas saudades.

Sempre envolvido com lesões, Túlio Souza revelou que chegou ao Botafogo já com problemas oriundos da Síndrome de Gillmore, uma condição rara que provoca intensas dores na região da virilha e do abdômen. Por conta disso, teve de ser submetido a duas cirurgias e conviveu com infiltrações.

– Ainda estava jogando a Série B pelo Coritiba e estava tendo que jogar à base de anti-inflamatório e injeções. Então, quando cheguei ao Botafogo, já estava desgastado – lamentou Túlio, em entrevista ao Canal do Léo Careca, lamentando que esses problemas tenham atrapalhado sua passagem pelo clube:

– As lesões me atrapalharam demais. Quando consegui render, é quando eu não tinha dor. Aquela final em 2009 que eu fiz o gol (contra o Flamengo, veja abaixo), estava completamente sem dor, estava feliz, inteiro. Não me considero injustiçado. Ganhamos uns quatro ou cinco títulos, havia muitos jogadores respeitados naquele grupo. Me considero um vencedor por ter chegado ao Botafogo, que era um sonho de infância.

Fluminense? São Paulo? Escolha pelo Botafogo
Túlio Souza passou pela base do Botafogo em 1998, quando tinha apenas 15 anos, mas acabou não ficando por conta das dificuldades de deslocamento até Marechal Hermes. Por causa do nome, ele conta que sempre teve a vontade de atuar pelo Glorioso.

– Depois da passagem pelo Coritiba, tive três ofertas, uma do Fluminense, uma do São Paulo e a do Botafogo. Tinha um carinho muito grande pelo Botafogo, até pelo meu nome, por já ter passado dois Túlios por lá, desde novo queria jogar no clube, por ter acompanhado o Túlio, acompanhado o título brasileiro de 1995. Minha escolha foi pelo Botafogo – relembrou.

‘Já treinei à meia-noite em Caio Martins’
Hoje empresário de jogadores na Paraíba, sua terra natal, Túlio Souza recordou que sua vontade era tão grande de se recuperar das lesões que chegou a treinar sozinho de madrugada no Estádio Caio Martins enquanto a delegação do Botafogo realizava a pré-temporada fora do Rio em 2010.

– Já treinei meia-noite no Caio Martins sozinho, 1h da manhã, pedia ao porteiro para não desligar o refletor do lado da quadra porque eu colocava uns cones e ficava treinando. O clube viajou, eu fiquei fazendo tratamento de manhã e à tarde e à noite fazia meus treinos secretos no Caio Martins (risos) – afirmou o ex-volante, encerrando:

– Minha vontade de me recuperar para jogar era enorme, queria dar a volta por cima para mostrar que eu era merecedor de estar lá. Fiz pelo Botafogo o que eu poderia fazer. Por causa das leões, parei muito novo de jogar, aos 34 anos.

Veja o vídeo com a entrevista de Túlio Souza:

Fonte: Canal do Léo Careca