Votação dos sócios deve ser mantida para novembro, como pede o estatuto do clube, com regras como distanciamento social, uso de máscara e locais mais abertos para evitar aglomerações

A epidemia do novo coronavírus pode prejudicar campanhas, mas não deve atrapalhar a eleição deste ano no Botafogo. Com novos protocolos e mudanças no dia a dia político do clube, a expectativa é que as regras não impeçam a realização do pleito, tradicionalmente marcado para a segunda quinzena de novembro.

A projeção é que o cenário sanitário no fim do ano seja melhor em comparação com a crise no momento, que parou o Brasil desde março. Mas, a presença do vírus já mexe com a rotina política e administrativa do clube e terá efeitos na eleição. A depender da orientação das autoridades, o Bota quer equipar General Severiano com os hábitos que viraram obrigatórios para boa parte da população: máscara, álcool em gel e distanciamento social.

Por enquanto, a campanha dos presidenciáveis acontecem de forma virtual. Dois candidatos já concorrem oficialmente ao cargo: o empresário Durcésio Mello e o advogado Walmer Machado. Nenhum deles é do grupo da atual gestão do presidente Nelson Mufarrej, embora Durcésio conte com o apoio do ex-mandatário Carlos Augusto Montenegro, que é membro do comitê de futebol.

General Severiano, sede do Botafogo — Foto: Fred Gomes

General Severiano, sede do Botafogo — Foto: Fred Gomes

O pontapé inicial do período de eleições em General Severiano será dado com a criação da junta eleitoral, prevista para julho e formada pelos presidentes dos conselhos deliberativo e fiscal e da junta de julgamento de recursos. Em agosto, o trio começará a analisar os sócios elegíveis e aptos a votar.

Reuniões com restrições

As portas fechadas por motivo de segurança são necessárias, mas atrasam as frentes administrativa e política do Botafogo. Os conselheiros do clube não se encontram presencialmente desde março, quesito obrigatório para votar temas importantes do clube. Como as contas de 2019, que apesar de divulgadas ainda não foram aprovadas internamente.

O presidente do conselho deliberativo alvinegro, Edson Alves, espera reunir os sócios novamente antes da eleição, de acordo com o projeto de retomada da Prefeitura do Rio. Como boa parte do conselho faz parte do grupo de risco, o planejamento é usar o ginásio do clube, que permitiria mais distanciamento entre as pessoas.

Fonte: Globo.com