Em busca de reforços para o restante da temporada, o Botafogo deixou de lado o “trauma” sofrido nas negociações com Yaya Touré e volta a olhar um jogador com currículo internacional. O Alvinegro tem contatos com o atacante marfinense Salomon Kalou, que tem passagem pelo Chelsea, da Inglaterra. A diretoria conta com o auxílio da movimentação da torcida para concretizar as tratativas, assim como aconteceu com Honda.

A ideia da cúpula do Glorioso é ter um jogador de renome para fazer companhia ao japonês e conseguir colher os frutos, como aumento de adesões no sócio-torcedor e um cartaz maior para o clube, que busca investidores para a S.A.

Aos 34 anos, Salomon Kalou, atualmente, está no alemão Hertha Berlin, mas já defendeu clubes como o Feyenoord (Holanda) e o Lille (França), além da seleção da Costa do Marfim. Ele ganhou maior notoriedade no Chelsea, tendo levantado a taça da Liga dos Campeões em 2012, a única da história do Blues.

As conversas com Kalou acontecem cerca de um mês depois de a diretoria ter mudado alguns planejamentos e colocado o foco no projeto de transformação do departamento de futebol em empresa. A alteração foi posta em prática após a grande frustração com Yaya Touré. O clube de General Severiano tinha tratativas avançadas com o jogador e demonstrava otimismo em um final feliz, mas foi pego de surpresa com o anúncio de um acordo do marfinense com Leven Siano, candidato à presidência do Vasco.

À época, o eco nos bastidores fez com que o Botafogo, que também tinha contatos com o nigeriano Obi Mikel, chegasse a deixar de lado qualquer negociação.

Dias depois, Yaya também declinou do vínculo previamente assinado com Leven Siano, apresentando motivos que também travaram um acerto com o Alvinegro.

Um mês depois daquele episódio, porém, acredita-se que a S.A. esteja mais consolidada e perto de ser finalizada, o que facilita uma nova cartada no mercado.

Apoio da torcida

Um fator com o qual a diretoria conta é a euforia da torcida para impressionar Kalou. Com Honda e, até certo ponto, com Yaya, a estratégia deu certo. O japonês, inclusive, citou a movimentação dos alvinegros nas redes sociais como um ponto que pesou na escolha pelo acerto.

“Para ser honesto, tive algumas ofertas da Europa e da Ásia, além do Botafogo. Não foi fácil decidir, porque muitos outros clubes também fizeram boas ofertas. Pensei o que era o melhor para mim e para a minha família. De início, decidi vir para cá porque as pessoas daqui estavam esperando por mim. Eles vieram, fizeram contato pelas redes sociais. Senti essa emoção deles, essa animação”, disse Honda durante entrevista coletiva na apresentação, no começo de fevereiro.

Fonte: UOL