Envolvido em um episódio polêmico no Botafogo em 2014, quando foi demitido pelo ex-presidente Mauricio Assumpção o lado de EdilsonJulio Cesar e Emerson SheikBolívar comentou a situação em entrevista ao Canal do TF.

Hoje treinador, o ex-zagueiro revelou que pretendia encerrar a carreira no Botafogo.

– Fiquei muito chateado, muito triste, porque eu não queria ter saído do clube. A minha família amava o Rio de Janeiro, amava o clube, tinha uma paixão pelo clube. Aquilo para mim era como se tivesse me dado uma punhalada pelas costas. Eu não queria deixar o clube naquela situação. Eu queria ter brigado até o final e encerrado minha carreira no clube porque eu estava com uma condição muito boa, com 34 anos – afirmou Bolívar.

Apesar de não ter mágoas, o ex-defensor fez duras críticas a Mauricio Assumpção.

– Sobre o Mauricio Assumpção, eu tive uma relação muito boa em 2013, foi um cara muito presente dentro do nosso elenco, mas em 2014 ele deixou a desejar. Na verdade não foi uma decisão que foi diretamente dele pra gente. Ela veio informada para nós que iríamos ter o contrato rescindido. Eu acho que isso é falta de caráter na verdade, de você não ter o respeito de repente com o atleta em falar para ele que iria rescindir o contrato. Mas é um cara que eu não guardo rancor, não guardo mágoa, porque ele me trouxe para o Botafogo, ele me apresentou a oportunidade de vestir essa camisa. Então não tenho rancor. Mas fiquei muito chateado pela maneira que foi porque eu acho que não foi justo. Estávamos brigando pelos nossos direitos para ter um Botafogo melhor e sem dúvida nenhuma honrar cada vez mais essa camisa – criticou.

Bolívar contou que chegou a ter um longo período sem salários na época.

– Saí com oito meses de salários atrasados, em CLT e imagem. Era geral. Eu tinha até uma condição por ter feito uma historia no Inter antes, por ter jogado na Europa, Mas e os jogadores jovens? Era duro você chegar no vestiário e ver os jogadores perguntando quando iria sair (o salário), se já tinha uma definição. Cara, chegava uma hora que tu perdia também a paciência porque tu não tinha o apoio, tu não tinha o respaldo. A gente ia falar com o presidente mas ele mandava outra pessoa pra falar, aí a gente não conseguia resolver – completou.

Confira o vídeo da entrevista de Bolívar ao Canal do TF:

Fonte: Canal do TF