Elenco do Bota reprova e tenta evitar queda de Barroca até o fim; definir nome em breve é prioridade

Elenco do Botafogo reprova e tenta evitar queda de Barroca até o fim; definir nome em breve é prioridade

Antes de diretoria anunciar demissão, líderes fazem apelo aos comandantes do departamento e cogitam comunicado coletivo em defesa do treinador

Quando a assessoria do Botafogo comunicou à imprensa que a diretoria estava reunida para definir o futuro de Eduardo Barroca, às 18h22 do domingo, momentos após a derrota para o Fluminense, a decisão pela demissão do treinador já estava tomada. Mas o anúncio oficial só seria feito uma hora e cinco minutos depois. Por que tanta demora? Um dos fatores foi a mobilização de lideranças do grupo em defesa do agora ex-alvinegro.

 

Fechados com Barroca e o gerente de futebol Anderson Barros, que teve de aceitar a demissão do treinador mesmo contra sua vontade, líderes do grupo procuraram os comandantes do departamento e pediram um voto de confiança ao treinador. Que fosse mantido pelo menos até o jogo contra o Goiás, marcado para quarta-feira, às 19h15, no Nilton Santos.

 

Após ouvirem de que a interrupção do trabalho era irreversível, os jogadores que se reuniram com os diretores cogitaram uma coletiva ou comunicado em defesa de Eduardo Barroca. Fato é que, caso um novo nome seja anunciado já nesta segunda-feira, dificilmente essa manifestação acontecerá.

A condução do trabalho por parte Eduardo Barroca o fez conquistar o elenco. Nunca foi segredo de que o grupo sempre esteve com ele e Anderson Barros.

Demissão por pouco não aconteceu após a rodada anterior

 

A derrota por 1 a 0 com atuação sofrível diante do Fortaleza, no último dia 30 e em jogo válido pela terceira rodada do returno, quase antecipou a queda de Eduardo Barroca. A partir dali, conselheiros e membros da diretoria passaram a cobrar a demissão.

Anderson Barros, que se posicionava contra a queda de Barroca mesmo em caso de derrota para o Fluminense, conseguiu segurar as pontas. Mas tanto Anderson quanto o treinador já sabiam: um revés no clássico encerraria a relação.

Com a demissão na iminência de acontecer, conselheiros já discutiam nomes na semana passada. Jair Ventura, que está fora do país fazendo um curso, Enderson Moreira e Alberto Valentim foram citados nos bastidores. A efetivação de Bruno Lazaroni, que tem o respeito do grupo e conhece todos os atletas, também é tratada. Não apenas pela familiaridade com o plantel, mas também por ser a opção mais barata.

 

VP diz que novo comandante terá perfil adequado ao estilo do atual elenco

 

Responsável por anunciar a saída de Eduardo Barroca, o vice de futebol do Botafogo, Gustavo Noronha, afirmou que o novo técnico terá de ser alinhado às características do atual elenco.

- As decisões são tomadas de acordo com os nossos atletas e com a montagem que foi feita do nosso elenco. Vamos buscar um profissional adequado com a nossa forma de jogar - afirmou.

Os comandantes do departamento de futebol garantem que ainda não discutem oficialmente o nome do novo treinador, tanto que a presença de Bruno Lazaroni no banco de reservas contra o Goiás, na quarta-feira, é dada praticamente como certa.

Nomes, como os citados no tópico anterior, foram levados por figuras importantes do clube, mas não houve propostas ainda. Uma certeza existe, porém, o departamento de futebol espera definir em poucos dias quem substituirá Eduardo Barroca.

Perder tempo é algo que o Botafogo não pode em um ano no qual precisa se segurar na elite do futebol brasileiro de qualquer jeito. Só assim a Botafogo S/A sairá do papel.

 

FONTE: GLOBO.COM