Apresentador critica protesto no Botafogo e vê sequelas, Noticiário todo dia é greve e salário atras

Apresentador ‘critica’ protesto no Botafogo e vê sequelas: ‘Noticiário todo dia é greve e salário atrasado’

Em crise financeira e com dois meses de salários atrasados, o Botafogo convive com protesto de jogadores contra patrocinadores, sem querer dar entrevistas na sala de imprensa ou realizar ações de marketing. Para o apresentador Edilson Silva, do programa “Os Donos da Bola”, da TV Bandeirantes, o clube está aumentando a repercussão dos problemas, em vez de valorizar a vitória sobre o Atlético-MG.

O jornalista lembrou a boa campanha do Botafogo no Campeonato Brasileiro e criticou o clube não abrir espaço para a imprensa.

– Sabe por que o noticiário é assim? A imprensa não pode falar, jogadores estão em greve, não vão expor marcas. Não tem imprensa cobrindo treinamento, entrevistando jogador e dirigente, começa a juntar notícia com o que tem. Quem fala é oposição, que quer pregar o erro, o ódio, a destruição de uma gestão. O noticiário todo dia é greve e salário atrasado. O Botafogo ganhou, é o segundo melhor do Rio, está brigando por Libertadores. Dá espaço para a imprensa que as notícias boas vão sair. Mas o próprio Botafogo fecha – opinou Edilson Silva.

O comentarista Ronaldo Castro foi mais duro ao criticar o protesto.

– Vou dar minha opinião. Isso nunca poderia acontecer, porque tem um líder que é o Joel Carli. O gerente de futebol, Anderson Barros, tem que reunir os jogadores e falar para parar com isso, resolver a parada. O presidente fica em situação delicadíssima, é tiro para tudo quanto é lado, de oposição e de jogador – criticou.

Edilson Silva também reprovou a entrevista de Luis Fernando Santos, vice-presidente executivo, na qual declarou que o Botafogo é um paciente em estado grave na UTI. Para ele, os dirigentes devem buscar soluções, não expor os problemas.

– No momento que está se tentando ajustar as coisas, que esperança você dá de resolver para quem está procurando uma solução? Eu sou dono de uma empresa, quero patrocinar o Botafogo, mas a partir do momento que os jogadores não dão entrevistas aparecendo a minha marca eu vou entrar? Claro que não. Luis Fernando Santos tem que dar uma olhada, Ricardo Rotenberg, vice-presidente comercial tem que gritar, é o setor dele que não está sendo exposto. Vice-presidente tem que dar entrevista dizendo como vai resolver. Rotenberg acho que é um baita cara, mas não trouxe patrocinadores. Veio o Azeite (Royal) que entrou em um monte de clubes. O resto vem desde o início do ano. A partir do momento que diz que está na UTI e esconde a marca do patrocinador, qualquer empresa vai oferecer pouco. Se vale R$ 100 mil, vai oferecer R$ 10 mil. Estou aqui defendendo o Botafogo, para que as pessoas ponham a cara – declarou.

Veja o vídeo abaixo, a partir do minuto 54:04:

 

 

FONTE: Os Donos da Bola (Bandeirantes)