Barroca confia no Botafogo e fala sobre confronto com Sampaoli, Experiência enriquecedora

Barroca confia no Botafogo e fala sobre confronto com Sampaoli: "Experiência enriquecedora"

Jogo com o Santos será no domingo, às 11h, no Nilton Santos, onde Botafogo tem três vitórias e apenas uma derrota no Brasileirão:

 

Com três vitórias e uma derrota nos quatro jogos que disputou em casa no Brasileirão, o Botafogo quer aproveitar o Nilton Santos para superar mais um desafio: vai enfrentar o vice-líder Santos, que perdeu apenas uma vez na competição.

- Vou ter a oportunidade de enfrentar um profissional do nível dele (Sampaoli), e o Santos, será uma experiência enriquecedora. Espero que a gente possa fazer uma grande partida. Tenho muita confiança no grupo do Botafogo.

- Usei o jogo do Grêmio como exemplo para muitas coisas, até porque tivemos um tempo longo para ruminar aquela derrota. O Botafogo se sente muito bem jogando ao lado do seu torcedor. A nossa expectativa diante do Santos não é diferente. Que o nosso torcedor venha, ajude e a gente consiga traduzir isso em resultado.

Mais declarações de Eduardo Barroca:

 

Como fazer o Botafogo ser mais agressivo?

- Esse processo de preparação para a Copa América, eu tinha dividido em quatro semanas. Eu ainda estou nela no jogo contra o Santos. Dessas quatro semanas enfatizei muito a definição do jogo em duas delas. Desse processo de preparação, gastei muito tempo com preenchimento de área, tudo aquilo que nos aproxima de fazer gol.

- Pela característica da nossa equipe, muitas vezes as outras equipes se fecham, e é difícil fazer gol em quem se fecha muito bem, como as equipes do Mano. Talvez um dos quesitos que a gente precisa crescer é criar as oportunidades sem ter risco. Contra o Cruzeiro, por exemplo, se atacar de qualquer jeito perde o jogo. É um grande desafio. Tenho dedicado muito tempo para melhorar esse nosso número.

Escalação

- Eu quando faço qualquer treinamento aberto, parto do princípio de dar condição igual a todos. Então tudo o que eu treino com o reserva, eu treino com o titular, para ter o mesmo estímulo, então por isso que cobrei não só a pressão. Para poder na hora do jogo fazer a cobrança. Não decidi, vou decidir amanhã.

Maratona

- Expectativa que a gente suporte bem essa maratona, quatro jogos em 11 dias. Espero que a gente consiga se desenvolver bem nesse período. Não tenho a menor dúvida que a gente está preparado. Arranquei o couro deles forte e a gente está preparado. Espero que a gente consiga os resultados que nos interessam.

Jogo às 11h

- Sono e alimentação, muda diretamente. Sobre a questão da intensidade do jogo, não influencia tanto. Depende muito do tipo de jogo. Se é um jogo que coloca a vantagem cedo tem uma característica, tem de buscar resultado é outra. O negócio é que vai ficando mais quente quando o jogador está mais cansado. Então mais um fato para a gente começar o jogo forte e tentar fazer um jogo em cima de vantagem, com certeza é mais fácil do que correr atrás de resultados nessas circunstâncias.

Diego Souza

- Tenho desde a parada para a Copa treinado o Diego também como meia, é a origem dele, tem condição de fazer isso, posso jogar com dois centroavantes com ele por trás, é um jogador que me dá essas alternativas sem eu precisar mexer. É um jogador importante, uma referência para a gente.

Salários atrasados

- Eu separo isso claramente, a minha responsabilidade é o lado esportivo. Claro que todo mundo quer ter a sua situação financeira familiar estável para ter o lado esportivo. Mas os jogadores desde o primeiro momento me procuraram para que o lado esportivo fosse mantido. A nossa responsabilidade é o lado esportivo e aqui no Botafogo está perfeitamente preservado. Espero que a gente consiga transferir isso aí para resultados, respeitar a camisa do Botafogo, que é o que a torcida quer.

Barroca elogia Sampaoli e diz que focou na evolução do ataque do Bota

Treinador do Alvinegro elogiou o chileno e analisou que treinamentos foram focados na produção ofensiva no último terço do gramado; Glorioso é quarto pior ataque do Brasileiro

 

A partida entre Botafogo e Santos, no próximo domingo, vai trazer à tona duas equipes que possuem apreço por criarem chances a partir da valorização da posse de bola. Apesar de possuírem detalhes distintos, a ideia dos times comandados por Eduardo Barroca e Jorge Sampaoli parte do mesmo princípio. Nesta sexta-feira, em entrevista coletiva realizada no Estádio Nilton Santos, o técnico do Botafogo elogiou o comandante do Peixe.

- É um treinador com história vitoriosa, as equipes dele jogam de uma forma diferente. É uma referência e a gente busca estudar aquilo que ele já fez na vida esportiva para entender a lógica. Vou ter a oportunidade de enfrentar um profissional desse nível, vai ser enriquecedor, mas eu tenho muita confiança no grupo de jogadores que eu tenho, espero que a gente faça uma grande partida no domingo - afirmou.

Um desses detalhes se diz justamente pela produção ofensiva. O Botafogo fez oito gols em dez partidas no Campeonato Brasileiro - atualmente, é o terceiro pior ataque da competição -, enquanto que o Santos marcou 13 vezes. Barroca destacou que a pausa para a Copa América foi importante para a evolução no campo de ataque.

- Esse processo durante a parada eu dividi em quatro semanas, nós fechamos essa pausa no jogo contra o Santos. Dessas, eu enfatizei muito a questão da definição do jogo, eu gastei metade do meu tempo em preenchimento de área, bola parada ofensiva, pisar na área, tudo aquilo que pode gerar gol. Muitas vezes enfrentamos equipes que se fecham e é mais difícil de marcar. Contra o Cruzeiro, tivemos o controle, mas não muitas oportunidades de gol. O grande desafio é crescer no terço final, tenho me dedicado bastante em cima de melhorar esse número, que não é satisfatório para o nosso padrão - analisou.

O treinamento desta sexta-feira, realizado no campo anexo do Estádio Nilton Santos, foi marcado por testes utilizando Diego Souza como meio-campista, atuando recuado, enquanto Erik e Luiz Fernando ficaram em posições mais avançadas do gramado.

- Desde a parada eu tenho treinado essa situação, de Diego como meia. É um jogador que tem como origem o meio-campo, tem condição de fazer isso. É um cara que me dá alternativas sem que eu precise substituir. Tenho treinado para que a gente possa usar isso no momento certo, ele é uma referência - bradou.

O Botafogo quitou parte dos salários atrasados também nesta sexta-feira, antes da atividade começar. Eduardo Barroca destacou que este lado é importante e elogiou a postura dos atletas, que, até agora, ainda não pararam com o protesto de não falar e não participar de ações de marketing.

- Eu separo isso claramente. Minha responsabilidade é o lado desportivo, é claro que todo mundo quer a situação financeira estável para estar inteiro. Quando tudo isso começou, os jogadores foram os primeiros a me procurar para que o lado desportivo fosse valorizado e eu cobrasse isso. Eles estão dedicados nos jogos e nos treinamentos, o lado desportivo está completamente preservado, espero que a gente consiga transferir isso para um resultado - finalizou.

 

FONTE: GLOBO,COM / LANCE