Dez jogos de Barroca no Botafogo, rodízio farto, jovens em campo, sete vitórias e defesa em alta

 Dez jogos de Barroca no Botafogo, rodízio farto, jovens em campo, sete vitórias e defesa em alta


Time foi vazado em apenas metade das partidas (sete gols) e venceu todos os jogos disputados no Rio de Janeiro

O estilo de Eduardo Barroca, treinador que gosta de ter a posse, faz o Botafogo girar a bola. Mas não só ela roda, os jogadores também. Após o triunfo por 2 a 1 sobre o CSA, o comandante atentou ao fato de ter utilizado um grande número de atletas em pouco tempo de trabalho. Vinte e sete já jogaram sob sua orientação.

Eduardo Barroca, técnico do Botafogo — Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

 

Botafogo com Barroca: 10 jogos, sete vitórias, três derrotas, 13 gols marcados e sete gols sofridos

 

Mesmo com um elenco considerado enxuto, Barroca tem conseguido dar oportunidades a quase todos os jogadores. O lateral Fernando, por exemplo, já era cotado para estrear no time profissional desde 2017, mas só debutou após a chegada do treinador, que o comandou na base.

Os também pratas da casa Lucas Barros, Lucas Campos e Rickson foram testados. Pachu já aquecia para entrar contra o CSA, mas o gol de Cícero, o primeiro do time, fez o técnico mudar de ideia.

- Se não me engano utilizei já entre 24 e 25 jogadores em uma quantidade de partidas não tão altas, estou falando em oito jogos (no Brasileiro). E temos conseguido manter o nível de performance e regularidade. Isso é bastante importante - disse Barroca, após a vitória sobre o CSA.

A mescla e o rodízio constante não têm atrapalhado no rendimento. Até agora, Barroca tem 70% de aproveitamento. Venceu sete de seus 10 jogos à frente da equipe.

O número de gols também aponta equilíbrio. Se não é um time goleador, marcou 13 com Barroca, pouco sofre atrás: foi vazado apenas sete vezes.

 

Os volantes Alex Santana e Cícero, ambos com três gols, são os artilheiros do Botafogo desde a chegada de Barroca

 

O zagueiro Gabriel, que não foi substituído em nenhuma partida, e Cícero são os que mais atuaram com o técnico. Não foram desfalque no período.

Diego Souza e Erik empatariam com a dupla caso não fossem barrados por cláusulas nos jogos contra São Paulo (0x2) e Palmeiras (0x1), respectivamente.

 

Números do rodízio de Barroca em jogos e gols (entre parenteses):

 

10 jogos: Cícero (sempre titular e três gols) e Gabriel (não foi substituído)
9 jogos: Gatito, Carli, João Paulo (1), Erik (2) e Diego Souza (2)
8 jogos: Fernando, Bochecha (1), Alex Santana (3) e Luiz Fernando (1)
7 jogos: Gilson e Rodrigo Pimpão
5 jogos: Valencia
3 jogos: Marcinho, Jonathan, Yuri e Igor Cássio
2 jogos: Jean, Rickson e Ferrareis
1 jogo: Diego Cavalieri, Marcelo Benevenuto, Alan Santos, Wenderson, Lucas Barros e Lucas Campos

*A matéria leva em consideração a derrota para o Palmeiras por 1 a 0, disputada em Brasília e válida pela sexta rodada. Vale destacar que o Botafogo pediu a impugnação do jogo alegando uso indevido do VAR.

 

FONTE: GLOBO.COM