Botafogo compra aparelho que ajuda determinar a sensação térmica durante os treinos

 Botafogo compra aparelho que ajuda determinar a sensação térmica durante os treinos
Fisiologista Manoel Coutinho afirma que Alvinegro tem conseguido melhorar a qualidade física do elenco: "Temos tido resultados bons"

Ainda em busca de contratações para consolidar o elenco para a temporada, o Botafogo também se reforça estruturalmente a fim de melhorar o desempenho físico dos atletas. O clube adquiriu um equipamento chamado miniestação meteorológica, que ajuda a determinar a sensação térmica durante os treinamentos, que habitualmente é maior do que nos jogos.

- Os termômetros convencionais medem a temperatura, mas não medem a sensação térmica, que tem uma variação muito grande sobre o valor real da temperatura. Esse aparelho mede outras variáveis, como umidade, velocidade do vento - afirmou o fisiologista Manoel Coutinho.

Miniestação meteorológica é adquirida pelo Botafogo — Foto: Divulgação/Botafogo
Coutinho especificou que vantagens o aparelho adquirido pelo Glorioso oferece e detalhou a estrutura técnica do mesmo.

O fisiologista explica que a miniestação meteorológica opera em conjunto com outros equipamentos. A combinação permite ao Botafogo concluir que os treinos feitos diante de temperaturas mais amenas permitem um rendimento melhor dos jogadores.

- É um conjunto de equipamentos: o anemômetro, que são as pás que medem a velocidade do vento, mede também umidade e a pressão do vento, com o barômetro. Começamos a usar esse ano. O que já temos provado é que os resultados com o mesmo treino feito com temperatura mais baixa, como apontam nossos equipamentos, são melhores.

Fisiologistas Manoel Coutinho e Dailson Paulucio trabalham com a miniestação meteorológica e outros equipamentos — Foto: Divulgação/Botafogo


- Quanto mais alta a temperatura, pior é o desempenho do atleta. Nossa ideia é quantificar isso, ver quais os prejuízos para o treino. Mas ainda estamos coletando dados. Nós cobramos dos atletas. Temos os dados da partida e nós sabemos qual o desempenho ideal para cada um. Sabemos no que ele está baixo da média e no que ele pode melhorar.

Também fisiologista alvinegro, Dailson Paulucio reforçou o quanto uma temperatura excessivamente alta pode prejudicar o desempenho dos atletas.

- A temperatura é correlacionada também à frequência cardíaca. Quanto maior a temperatura, maior o estresse cardiovascular. Você migra a água para a pele, para o resfriamento e, consequentemente, o atleta tem uma percepção de esforço maior - disse Paulucio.

Miniestação meteorológica vai ajudar fisiologistas do Botafogo — Foto: Divulgação/Botafogo

Manoel Coutinho ainda falou da importância do GPS como aliado ao conjunto de equipamentos, aparelho fundamental para a melhoria da qualidade física dos atletas.

- Quando explicamos para o atleta o que ele precisa fazer no treino, ele muda. Depois ele vem conferir se conseguiu alcançar os objetivos. Na maioria das vezes eles entendem a informação e conseguem aplicar no treino. Consegue melhorar o condicionamento físico e também melhoram no jogo, porque só vai melhorar no jogo se melhorar no treino. Temos tido resultados bons no sentido de melhorar a qualidade física deles. Os dados nos mostram também que em alguns dias são necessários treinos menos intensos. Houve dias em que a sensação térmica chegou a 52 graus.

FONTE: GLOBO.COM