Justiça rejeita recurso do Botafogo contra penhora de R$ 6,4 milhões no caso Oswaldo de Oliveira

 Justiça rejeita recurso do Botafogo contra penhora de R$ 6,4 milhões no caso Oswaldo de Oliveira
Juiz refuta argumentos do clube de "penúria financeira" e risco de atraso de salários, além de citar venda de Igor Rabello. Decisão traz detalhes da negociação de Matheus Fernandes com Palmeiras

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) rejeitou, nesta quinta-feira, recurso do Botafogo referente a um processo trabalhista movido pelo técnico Oswaldo de Oliveira contra o clube. Em dezembro, o Alvinegro teve R$ 6,4 milhões da venda de Matheus Fernandes ao Palmeiras penhorados em razão da ação do ex-treinador.

O Alvinegro alegava que o bloqueio de créditos "impossibilitaria" o clube de desenvolver suas atividades "em virtude de penúria financeira", além dos empregados correrem "risco de não recebimento de seus salários", e sugeriu que a execução deveria processar-se por um "modo menos gravoso", oferecendo a penhora de imóvel.

Na decisão, o juiz Marco Antonio Belchior da Silveira ressaltou o acerto da decisão anterior, da juíza Ana Paula Ferreira, e não aceitou a oferta de penhora do imóvel oferecido pelo Botafogo. Além disso, destacou que o Alvinegro deu declarações recentes de que havia quitado os salários atrasados e lembrou que o clube vendeu recentemente o zagueiro Igor Rabello por R$ 13 milhões ao Atlético-MG.

A decisão traz também detalhes da venda de Matheus Fernandes ao Palmeiras. O clube paulista pagará um total de 3,5 milhões de euros em 3 parcelas, com a primeira de 1 milhão de euros a vencer em 15 de janeiro, e outras duas de 1,250 milhão de euros a vencer nos dias 15 de julho e 16 de dezembro.

FONTE; GLOBO.COM