Botafogo perde premiação de R$ 1,7 milhão com eliminação na Sul-Americana

Botafogo perde premiação de R$ 1,7 milhão com eliminação na Sul-Americana
 A eliminação na Sul-Americana nos pênaltis para o Bahia vai custar caro aos cofres do Botafogo. O clube deixará de arrecadar cerca de U$ 450 mil (cerca de R$ 1,7 milhão), premiação para quem joga as quartas de final da competição.

O Botafogo recebeu U$ 920 mil pela participação na Sul-Americana (cerca de R$ 3,5 milhões na cotação de hoje), já que chegou até as oitavas de final. Confira abaixo os valores por participação em cada fase:


1ª Fase – U$ 250 mil (R$ 975 mil)
2ª Fase – U$ 300 mil (R$ 1.170.000)
Oitavas de final – U$ 370 mil (R$ 1.443.000)
Quartas de final – U$ 450 mil (R$ 1.755.000)
Semifinal – U$ 550 mil (R$ (2.145.000)
Vice-Campeão – U$ 1,2 milhão (R$ 4.680.000)
Campeão – U$ 2,5 milhão (R$ 9.750.000)

Antes do jogo, o vice-presidente de futebol Gustavo Noronha falou à Rádio Globo sobre a importância da Sul-Americana para o clube.

– Tem uma importância grande sob todos os aspectos. O ponto esportivo pesa muito, disputar título internacional, trazer alegria e coroar o trabalho de todos, que é muito sério e profissional. A parte financeira pesa também. Mas o brilho nos olhos do torcedor é impressionante, envolveu a delegação na chegada. O mais importante é levar alegria e trazer o título – comentou o dirigente antes da partida.

Gustavo Noronha também foi perguntado sobre a passagem de Marcos Paquetá pelo clube.

– Fazemos reuniões de planejamento e contratação, não esperávamos saída do Alberto (Valentim), houve proposta irrecusável. Levamos em consideração aspectos técnicos (para contratar Paquetá), Anderson Barros e a comissão nos passaram que precisavam de treinador com intensidade nos treinamentos para a resposta desse grupo. O grupo responde bem a trabalhos com intensidade. A aposta no Paquetá foi nessa linha também, tinha todo histórico de categoria de base e intensidade. Foi esse o objetivo principal. Tivemos uma sequência ingrata de jogos, com lesões, talvez momento mais agudo de atraso salarial. Foi uma conjunção de fatores. Tivemos compreensão de todos e fizemos mudança a tempo – ressaltou.

Fonte: Rádio Globo