Botafogo vence o Vasco por 71 a 60 e se classifica para a decisão do Campeonato Estadual! Valeu, FO

 Botafogo vence o Vasco por 71 a 60 e se classifica para a decisão do Campeonato Estadual! Valeu, FOGO! 
Duelo foi marcado pelo equilíbrio, mas no último período o Glorioso se sobressai e consegue chegar a decisão do Estadual. Coelho e Jamal foram destaques da partida

O clássico carioca rendeu emoções e equilíbrio nesta terça-feira, mas foi o Botafogo que conseguiu sair com o resultado favorável. O Glorioso venceu o Vasco por 71 a 60, no Oscar Zelaya, no terceiro jogo da semifinal do Campeonato Carioca de basquete. Com isso, o time de General Severiano está na final do Estadual. O armador Coelho fez 21 pontos, aplicou sete rebotes e fez 6 assistências. Além dele, Cauê Borges fez 19 pontos, oito rebotes e três assistências. 


Vamos aos destaques do jogo! 

Coelho - 21 pontos/ 7 rebotes/ 6 assistências 
Cauê - 19 pontos/ 8 rebotes/ 3 assistências 
Arthur- 11 pontos e 5 rebotes 
Ralfi -  4 pontos e 10 rebotes

O duelo teve em sua maioria equilíbrio, porém no último período o Botafogo assumiu vantagem no placar e conseguiu controlar a partida e fechar com o resultado positivo. 

Agora, o Botafogo espera o outro confronto que será entre Flamengo e Niterói, na quinta-feira, no La Salle, às 20h. Os rubro-negros levaram a melhor no primeiro duelo.

O JOGO 

O duelo entre Botafogo e Vasco começou equilibrado, com as equipes somando igualmente. Entretanto, o time do técnico Léo Figueiró cresceu nos minutos finais e abriu vantagem no clássico. O ala Cauê Borges anotou sete pontos. O placar foi de 22 a 15. 

No seguinte período, o Cruz-Maltino iniciou melhor e conseguiu o empate rapidamente. Além disso, chegou a comemorar a virada. Mas, também nos minutos finais, o armador Coelho foi para cima da marcação, escapa de três e colocou na bandeja e anotou 16 pontos, quatro rebotes e três assistências no primeiro tempo. Ao final fechou com uma diferença de dez pontos: 38 a 28. 

Na volta do intervalo, os times intensificaram a luta por espaços na quadra, ou seja, a marcação foi mais adotada para que nenhum ampliasse muito no placar. Mas mesmo assim, o Cruz-Maltino reagiu e conseguiu o empate nos últimos minutos. O quarto final prometeria emoção. 

Não foi diferente. O Botafogo saiu na frente e conseguiu somar oito pontos de diferença. Dunk, Arthur e Coelho fizeram para avançar no placar. O Vasco pouco produzia e errava muito na passagem para o ataque. Com isso, a Estrela Solitária conseguiu controlar a vantagem adquirida para comemorar a ida para grande decisão. 

FONTE; LANCENET

Botafogo decola no último quarto, vence o Vasco e está na final do Carioca de Basquete
Botafogo supera oscilações, deslancha no fim e vence o Cruz-Maltino no jogo 3 da semifinal por 71 a 60. Na decisão, Glorioso enfrenta o vencedor do confronto entre Flamengo e Niterói

Com a série melhor de três empatada, Botafogo e Vasco entraram em quadra nesta terça-feira para o tira-teima que reservaria ao vencedor uma vaga na grande final do Campeonato Carioca. Na primeira partida, o Glorioso contou com a inspiração da dupla Cauê Borges e Ansaloni para largar na frente. E no segundo encontro, o Vasco endureceu o jogo e empatou a série depois de duas prorrogações. Esta noite em General Severiano, o ingrediente comum em relação aos dois primeiros jogos da série foi novamente a intensidade.

Diante de sua torcida, que encheu o ginásio Oscar Zelaya, o Botafogo impôs o seu jogo e dominou o Vasco nos dois primeiros períodos. Mas caiu de rendimento no terceiro período, perdendo toda a vantagem construída no intervalo. Até que no derradeiro quarto do jogo e da série, o time da casa decolou de vez. O acerto defensivo aliado à paciência na execução das jogadas rendeu nova vantagem que minou as chances do Vasco e garantiu a vitória por 71 a 60. Agora, na grande decisão, o Botafogo pega o vencedor do confronto entre Flamengo e Niterói, que iniciam a série nessa quarta-feira, na Gávea.

O jogo
Valendo vaga na final, as equipes não economizaram em intensidade nos primeiros minutos de jogo. Afiados nos arremessos de fora, tanto Botafogo quanto Vasco investiram muito nessa arma, travando um belo duelo no perímetro durante boa parte do primeiro quarto. Cheio de dinamismo fruto de decisões rápidas, o jogo se manteve equilibrado. Até que restando dois minutos para o fim da parcial, o Botafogo deslanchou, superior nos rebotes. A menos de um minuto do fim, o ala-pivô Ron Spencer conseguiu dois pontos e a falta, levantando a torcida no ginásio Oscar Zelaya. Dessa maneira, o Botafogo foi para o intervalo com uma vantagem de sete pontos, 22 a 15.

No segundo período, os times não deixaram a intensidade cair. Duda abriu a parcial com uma bola de três, inflamando os companheiros e condicionando uma arrancada que eliminou a vantagem conquistada pelo Botafogo ao fim do período inicial. Pilar e Alexei acompanharam Duda na precisão dos chutes de fora. O jogo endurecia para o Botafogo, que menos ativo nos rebotes, teve dificuldades para jogar em transição, um forte da equipe na série. Apesar das dificuldades encontradas no período, o Glorioso voltou a deslanchar na reta final do quarto, impondo seu jogo apoiado no contra-ataque e abrindo novamente na dianteira: vantagem de 38 a 28 no intervalo.

O Botafogo voltou do intervalo com muita aplicação defensiva, determinado a não deixar escapar outra vez a vantagem construída. Só que esqueceu de fazer a sua parte no ataque. Até então destaque do lado alvinegro, o armador Coelho viu cair seu rendimento, assim como Ansaloni e Cauê Borges, que pouco criaram na parte ofensiva. O Botafogo deixou de investir em movimentação de bola e seleção dos arremessos. O resultado foi a reação do Vasco, que aproveitou o momento ruim do rival para tomar a liderança do jogo na reta final do terceiro período. Lupa foi o grande destaque da arrancada vascaína, com 11 pontos no quarto.

Com o jogo empatado no último período, a guerra de nervos passou a ser a tônica em quadra, com o Botafogo precisando melhorar defensivamente e o Vasco motivado pelas duas arrancadas conseguidas na partida. Num momento de pressão, Ron Spencer conseguiu um toco que incendiou a torcida alvinegra, e na sequência, uma bola de três de Arthur recuperou de vez o moral do Botafogo. Instantes depois, outra bola de três definiu o melhor momento do Botafogo no jogo. A torcida cantou alto em General Severiano, com o time da casa construindo uma vantagem de 10 pontos. Nem a exclusão de Spencer pela quinta falta foi suficiente para frear o ânimo alvinegro, que administrou bem a vantagem e garantiu vaga na final com uma vitória por 71 a 60.


FONTE; GLOBO.COM