VASCO 92 X 88 BOTAFOGO, Alviengro faz jogo duro, força prorrogações, mas decidirá a vaga em casa

 VASCO 92 X 88 BOTAFOGO, Alviengro faz jogo duro, força prorrogações, mas decidirá a vaga em casa 
Num clássico de muitas reviravoltas e duas prorrogações neste sábado, em São Januário, o Vasco levou a melhor sobre o Botafogo por 92 a 88. Como teve campanha melhor do que o rival, o Glorioso decidirá a vaga na decisão do Estadual em General Severiano, às 20h, na terça-feira. 

A partida começou com uma surpreendente corrida de 8 a 0 para os donos da casa. Léo Figueiró pediu tempo e seu time, pouco a pouco, voltou para o jogo e terminou o primeiro quarto perdendo por 19 a 14. Apostando no talento de Cauê e Arthur, os alvinegros mandaram uma chuva de bola de três pra cesta do Vasco e passaram a dominar a quadra. Ralfi também aproveitou o momento, calibrou o arremesso, ganhou rebotes importantes e ajudou o time a ir para o intervalo com a vitória parcial de 36 a 28. 

Na volta, as equipes aumentaram a eficiência defensiva e os cruz-maltinos tiveram vantagem. Do lado alvinegro, Cauê seguiu como o maior pontuador, brigou em todos os rebotes, deu assistências e silenciou o Ginásio ao matar uma bola de três no estouro do cronômetro para o terceiro período e fechar o placar em  56 a 49. Apostando nos chutes de Duda Machado, o Vasco cresceu, chegou a virar a partida nos últimos minutos, mas viu Coelho responder para o Botafogo e decretar a prorrogação: 66 a 66. 

O time da casa abriu o tempo extra com duas bolas de três em sequência e parecia encaminhar o triunfo. Porém, após tempo técnico, o Fogão mostrou forte ímpeto, jogou com inteligência ao fazer faltas cirúrgicas e chegou ao empate na bandeja de Coelho a 3 segundos do fim, que forçou mais uma prorrogação: 77 a 77. Desta vez, o Botafogo começou dominante, abriu cinco pontos, mas teve dificuldade com os chutes do perímetro vascaíno e foi superado por 92 a 88. 

Dono de 14 pontos, sete assistências e cinco rebotes, Arthur mostrou a segurança de sempre e comentou sobre suas obrigações em quadra diante da ausência de Mogi, fora por estiramento na coxa direita.

- Foi um grande jogo de basquete. Conseguimos botar nosso ritmo no ataque, mas acredito que faltaram alguns passes para nos sairmos ainda melhor. A defesa também fez um jogo correto. Jogar na posição três (ala) era uma possibilidade que eu já tinha pensado antes da contusão do Mogi e, hoje, estava preparado para fazer esse papel. Me senti confortável e ajudei a equipe com todas as minhas forças. Agora é cabeça erguida, vamos jogar em casa, tenho certeza que nossa torcida vai fazer uma grande festa e nos empurrar para essa final. 

Botafogo e Vasco fazem o último e decisivo jogo da série nesta terça-feira, às 20h, em General Severiano. 

 FONTE; SITE BOTAFOGO