PRONTOS, Alvinegros jogam para fechar a série contra o Vasco neste sábado, em São Januário

 PRONTOS, Alvinegros jogam para fechar a série contra o Vasco neste sábado, em São Januário 
Vencedor no jogo de abertura dos playoffs do Estadual, o Botafogo tem a chance de fechar a série melhor de três neste sábado, em São Januário. Os alvinegros enfrentam o Vasco, às 15h, com torcida única dos cruz-maltinos.

Até agora, o clássico já aconteceu três vezes e o time de General Severiano levou a melhor em todas as oportunidades. Com virada ou administração do resultado, os atletas de Léo Figueiró mostraram maturidade para garantir os resultados sempre no último quarto e chegam confiantes para o duelo. Capitão da equipe e peça fundamental na engrenagem alvinegra, Henrique Coelho comentou pontos importantes para o jogo decisivo.

EXPECTATIVA

 - Vai ser um jogo duríssimo e de muito físico. Sabemos que eles vão pro tudo ou nada e temos que aproveitar isso da melhor forma. É colocar em prática o que a comissão técnica apresentou pra gente, corrigir alguns detalhes e dar ênfase aos nossos acertos. Estamos muito bem preparados!

EMOCIONAL

- Temos abordado esse ponto e sabemos o que vamos enfrentar. Estamos preparados para essa situação, está todo mundo física e mentalmente bem. Precisamos controlar a ansiedade e ter na cabeça que enquanto lutamos pra garantir a vaga, o time deles está pressionado, jogando pela vida. Então, é ter paciência pra executar as propostas com a maior naturalidade possível. É uma grande chance de fechar a série.

AUSÊNCIA DE JAMAAL

- Nosso elenco é muito bom, o Léo preza por um trabalho coletivo e dá oportunidade pra todo mundo. O Jamaal é um cara importante, tem qualidade e vai fazer falta, mas também vejo isso como oportunidade para quem não vem tendo muito tempo de quadra. É assim que as coisas acontecem! A galera está motivada demais e confiante para desfrutar dessa partida.  

REGULARIDADE

- Quanto mais vezes a gente joga contra um time, mais a gente vai conhecendo os pontos fortes e fracos. Fizemos nosso jogo mais regular contra o Vasco, que foi resultado de um avanço importante do nosso entrosamento também. O grande diferencial é o time entender em qual fase do jogo se encontra para aproveitar o momento bom ou, com calma, procurar um atalho para sair de uma situação complicada.

RESPONSABILIDADE

- O sistema pede muita leitura. Como armador, tenho que ter a visão de quem vou colocar ou segurar no jogo, sempre pensando no melhor para o coletivo. É uma responsabilidade enorme, mas eu gosto dessa função, de estar no controle. Também gosto de pontuar, a bola está sempre comigo, mas prefiro botar os companheiros no jogo, dar o touch pra todo mundo e deixar a marcação confusa. Na hora decisiva, ninguém sabe se a bola vai pro Ralfi, Cauê, Arthur, Mogi, Guga ou se eu mesmo vou chutar.

Em caso de vitória vascaína, o terceiro e último duelo da série acontecerá em General Severiano, na terça-feira.

 FONTE; SITE BOTAFOGO