Jefferson terá de ficar com colete cervical por pelo menos um mês, e otorrino evita prazo retorno

 Jefferson terá de ficar com colete cervical por pelo menos um mês, e otorrino evita prazo de retorno.Muito distante

Médico Augusto César explica que ídolo ainda apresenta paralisia que o deixa com dificuldade respiratória e na fala e brinca com ansiedade do paciente em voltar a jogar: "Se deixar, esse cara obedece pela metade"

Na tarde desta terça-feira, o goleiro Jefferson foi submetido a uma revisão sob os cuidados do médico Augusto César para saber em que estágio está sua recuperação das contusões que sofreu contra o Flamengo, no último dia 21 (trauma no tórax, fratura da cartilagem tireoide, edema nas cordas vocais e a perda de dois dentes). E o retorno aos treinos ainda está distante.

Ao GloboEsporte.com, o otorrino Augusto César, que recebeu Jefferson em seu consultório, afirmou que o goleiro ainda não pôde retirar o colete cervical utilizado desde o último dia 27.

- Não, ainda vai demorar. Tinha um coágulo em cima da corda vocal, e com isso a absorção demora muito. Com o passar do tempo que a gente vai conseguindo definir exatamente o tamanho da lesão. Foi muito sério - explicou
Augusto descartou fazer qualquer tipo de previsão em relação ao retorno do ídolo aos treinamentos e apresentou algumas limitações que o impedem de trabalhar com desenvoltura.

- Fiz um exame de videolaringoscopia hoje. E ele ainda está com um pouco de paralisia de corda vocal. Muito distante (do retorno). Esse tipo de paralisia deixa ele com dificuldade respiratória e de fala. Então tem que esperar tirar todo o edema que tem nas cartilagens e nas cordas vocais para ele voltar ao normal.

A única estimativa feita pelo otorrino foi em relação à retirada do colete: cerca de 30 dias contados a partir de 27 de julho, quando o jogador passou a utilizar o material. Ao fazê-la, brincou que tem de marcar Jefferson de perto tamanha é a vontade de o camisa 1 voltar a jogar.

- Vai usar por pelo menos uns 30 dias. Se deixar, esse cara obedece pela metade. Ele está doido (para jogar), só fala nisso. Disse: "Cara, não dá, bicho (risos)".

 FONTE;  GLOBO.COM