Bota obtém liminar que libera R$ 20 milhões penhorados para abater os próximos dois anos de Profut

 

 Alívio nos cofres: Botafogo obtém liminar que libera R$ 20 milhões penhorados para abater os próximos dois anos de Profut

Dinheiro referente ao patrocínio da Viton 44 na gestão de Mauricio Assumpção não entra na conta do clube, mas desonera fluxo de caixa em meio à crise financeira. Ainda cabe recurso da decisão

Em meio à crise financeira em General Severiano, o Botafogo conseguiu uma importante vitória na Justiça na última segunda-feira: uma liminar autorizou o Alvinegro a usar o dinheiro que tem penhorado do patrocínio da Viton 44, ainda na gestão de Mauricio Assumpção, para o pagamento das próximas parcelas do Profut, programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. São cerca de R$ 20 milhões em depósitos judiciais por não recolhimento de impostos na época.

 Dinheiro penhorado é referente ao patrocínio da Guaraviton entre 2011 e 2014 (Foto: Divulgação)

O valor continua de posse da Justiça com esta única finalidade, ou seja, não entra na conta do clube. Mesmo assim, é um alívio e tanto para os cofres de General Severiano porque vai desonerar por quase dois anos o fluxo de caixa com esta despesa, que gira em torno de R$ 1 milhão por mês. Já havia um acerto judicial para usar este dinheiro para amortizar a dívida, porém, a União solicitou o abatimento das últimas parcelas, enquanto a liminar do Botafogo determina na ordem crescente.

Por 2018 ser considerado o ano de maior dificuldade financeira para o clube, com boas perspectivas de melhora a partir de 2019, a intenção foi inverter a ordem de pagamento justamente para aliviar os cofres em seu pior momento. O departamento jurídico alvinegro, representado na ação pelo escritório Mattos Filho, vinha buscando este efeito desde 2015 na Justiça. A decisão (veja na íntegra abaixo) é do desembargador Guilherme Couto de Castro, mas cabe recurso.

Próximos passos
Após fazer um empréstimo de R$ 8 milhões junto ao Banco Daycoval, o Botafogo já recolheu os impostos em atraso e corre para pagar o mês de junho ao elenco – o de julho vence só no dia 10 de agosto – e retirar até semana que vem a única CND que falta renovar, com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Com ela, poderá assinar o contrato com a Caixa Econômica Federal para receber a primeira bolada do total de R$ 10 milhões pelo patrocínio master da camisa durante um ano.

Decisão, Profut, Botafogo (Foto: Divulgação)

 

 

FONTE; GLOBO.COM