Empolgado, Cauê Borges espera brilhar no Botafogo, É uma vitrine para mim

 Empolgado, Cauê Borges espera brilhar no Botafogo, É uma vitrine para mim
Jogador que mais evoluiu na última temporada, ala-armador de 26 anos aposta no trabalho do técnico Léo Figueiró e acredita que Alvinegro pode surpreender na temporada

Cauê Borges mudou de patamar no basquete brasileiro. Aos 26 anos, o ala-armador vive o melhor momento da carreira e atuando pelo Caxias do Sul conquistou o trófeu de jogador que mais evoluiu no NBB 10. As boas atuações e os melhores números da carreira o levaram para o Botafogo, que aposta suas fichas no basquete coletivo, mas confia muito no potencial do paulista nascido e criado em Franca, mas que despontou mesmo no Sul do Brasil. E Cauê está ciente disso. Motivado, ele acredita que pode corresponder e apesar de pensar no coletivo, acredita que o Alvinegro pode ser uma vitrine para seguir crescendo e conquistando ainda mais.

"O Botafogo é um time grande. Quando você vai bem em times maiores, a probabilidade de conseguir prêmios individuais e de ser observado aumenta. Você é mais visto, então é uma vitrine muito boa para mim. Estou preparado, confiante e isso ajuda"

 Cauê Borges ao lado de Coelho na apresentação do Botafogo (Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo)

Cauê levou o Caxias às quartas de final, eliminando o próprio Botafogo nas oitavas e caindo diante do forte Mogi, que chegou até a decisão do NBB. Com 33 minutos em quadra por partida, teve médias de 16,1 pontos, 4,9 rebotes e 3,4 assistências, eficiência altíssima de 17,1. Sua estreia no NBB aconteceu em 2008 e após três passagens por Franca, depois Minas e Liga Sorobacana, ele "desabrochou" no Caxias do Sul. A experiência no Botafogo será a primeira em um time de camisa, com uma torcida de futebol às costas. E ele está empolgado.

 Cauê Borges durante a premiação do NBB (Foto: Divulgação/LNB)

- Tenho que pegar pelo lado positivo. Nunca joguei em um clube que tinha uma torcida de futebol por traz, então tudo que a gente fizer é pensando positivamente. É uma motivação para mim.Trabalhei com o Léo no ano passado no Caxias, conheço bem o sistema que ele gosta de jogar. Já consigo ter essa leitura do sistema mais fácil. Consigo pegar isso, principalmente no começo. No ano passado tive uma temporada muito boa, não posso ficar pensando no passado. O Botafogo é um clube muito grande, tem muita história. Vou fazer de tudo para dar o meu melhor e colocar o Botafogo onde ele tem que estar - explica Cauê.

Além de Cauê, o Botafogo contratou Ansaloni (pivô), Maike (pivô), Mogi (ala), Coelho (armador) e Arthur (ala-pivô) e renovou com Guapi (ala-pivô), Jamaal (armador), Guga (ala-armador) e Fabrício (ala). A diretoria ainda busca um atleta na posição 4 e pode fechar o grupo com a chegada de atletas ainda mais jovens, da base, de entre 17 e18 anos, para prepará-los aos poucos no decorrer da temporada. Durante a coletiva de apresentação da equipe, Márcio Padilha, diretor de comunicação do clube, fez questão de lembrar que o basquete não depende do dinheiro do futebol e 100% do investimento vem de patrocínio incentivado.

- Gostei bastante das escolhas do Léo. São jogadores com bastante leitura, no sistema que ele gosta de trabalhar. Se todos entenderem o que ele quer, tem tudo para dar certo. Minha expectativa é muito boa. Vamos jogar contra times fortes desde o começo, no Estadual, contra Flamengo e Vasco, e isso vai nos ajudar para quando chegar o NBB, que é o nosso principal foco - garante o jogador.

FONTE; GLOBO.COM